Arquivo

Archive for the ‘Debian’ Category

ejabberd no backports.org

Em um texto anterior eu mencionei que havia feito um backport do ejabberd para o Sarge. Decidi enviar esse backport para o backports.org e, finalmente, ontem ele foi aceito. Então, quem quiser utilizar esse backport, a partir de agora, deve fazer o seguinte:

No seu /etc/apt/sources.list, acrescente a linha abaixo, para utilizar o repositório do backports.org

deb http://www.backports.org/debian sarge-backports main

No /etc/apt/preferences, acrescente as linhas abaixo

Package: ejabberd
Pin: release a=sarge-backports
Pin-Priority: 999


Package: erlang-base-hipe
Pin: release a=sarge-backports
Pin-Priority: 999

Package: erlang-base
Pin: release a=sarge-backports
Pin-Priority: 999

Package: erlang-nox
Pin: release a=sarge-backports
Pin-Priority: 999

E é só. Agora basta fazer

aptitude update && aptitude install ejabberd

Anúncios
Categorias:Debian, jabber, Português

New GnomeBaker in experimental

We’re aproaching the release of a new GnomeBaker version. I’ve just uploaded to Debian experimental a snapshot of its code, so we can get more testing. Among the changes for this new version are:

  • use of gstreamer 0.10;
  • suports creating directories, delete/rename/move files in data projects;
  • save/load projects;
  • edit multiple projects simultaneously;
  • many bug fixes.

Tests and bug reports are much welcome. We want to make this GnomeBaker version as stable as possible in time for the Etch release.

Categorias:CD/DVD Tools, Debian, English

Novo GnomeBaker na experimental

Estamos nos aproximando do lançamento da nova versão do GnomeBaker. Acabo de enviar para o Debian experimental um snapshot do que deve vir a ser esse novo lançamento. Entre as novidades deste pacote, temos:

  • uso do gstreamer 0.10;
  • suporte a criação de diretórios, apagar/renomear/mover arquivos em projetos de dados;
  • gravar/carregar projetos;
  • edição de múltiplos projetos simultâneos;
  • muitas correções de problemas.

Testes e relatórios de bugs são muito bem-vindos. Queremos tornar esta versão do GnomeBaker o mais estável possível para que possa ser incluído na Etch.

Ejabberd no Sarge usando PAM para autenticar

Recentemente me pediram para criar um “bate-papo” na Smart Price. É lógico que, para fazer isso, eu usei o padrão da Internet para troca de mensagens instantâneas. E existe isso? Claro, que existe! Chama-se Jabber (ou XMPP, para ser mais exato) e tem tudo de útil que o MSN Messenger, muitas outras coisas que ele talvez venha a ter em alguma versão futura e outras que ele nunca vai ter. Se você ainda não conhece o Jabber, já passou da hora de fazê-lo. Escolha um dos vários clientes, crie uma conta em um dos servidores públicos e divirta-se.

Mas, o objetivo deste texto não é fazer divulgação do Jabber e sim contar o que precisei fazer para implantar esse serviço, então voltemos ao assunto.

Dentre as opções de servidores existentes, decidi utilizar o ejabberd que é Software Livre e é utilizado pelo servidor público jabber.org. E, se é bom para eles que têm milhares de usuários registrados, vai ser mais que suficiente para nós que somos pequenininhos.

Acontece que o ejabberd não está disponível no Debian Sarge, então tive que fazer um backport do pacote disponível para Sid. Binários para i386 e fontes disponíveis em:

deb http://people.debian.org/~goedson/packages/debian/sarge/ejabberd/i386/ ./

e

deb-src http://people.debian.org/~goedson/packages/debian/sarge/ejabberd/src/ ./

respectivamente.

Servidor instalado e configurado, só falta criar os usários. Mas eu já tenho todos os usuários cadastrados no meu servidor. Porque não utilizar esses dados? Porque o ejabberd suporta nativamente a autenticação em um banco de dados LDAP, MySQL ou PostgreSQL mas não o /etc/passwd ou o NIS ou PAM.

Felizmente, ele suporta o uso de um programa externo para fazer a autenticação. Então, fiz um script para autenticar os usuários utilizando o PAM e, pronto! Usuários acessando o Jabber com a mesma senha que eles já usam para ler seus emails ou acessar suas estações de trabalho.

Isso é tudo que foi necessário para ter um “serviço de bate-papo” com a possibilidade de se fazer reuniões, com ou sem controle de participantes, registro automático da “ata” (olha eu fazendo propaganda do Jabber de novo, acho que vou escrever um artigo sobre isso 🙂 ) e integrado à autenticação de usuários já existente na empresa.

Quando tudo mais falhar, leia a documentação

Esse fim de semana, como a minha applet do network manager insistia em dizer que eu não tinha suporte a redes sem fio, resolvi ler a documentação do meu driver para tentar convencê-lo a aceitar a verdade.

O problema é que o driver cria, por padrão, um dispositivo chamado eth2. O Network Manager, muito inteligentemente, assumia que isso era um dispositivo de rede ethernet e não rede sem fio. A solução: usar o ilustre desconhecido ifrename para mudar o nome do dispositivo para wlan0.

Então, aqui vai a receita de bolo completa para aqueles que também sofrem com esse problema:

aptitude install ifrename
echo 'wlan* driver ipw2200' > /etc/iftab
echo 'install ipw2200 /sbin/modprobe --ignore-install ipw2200; /sbin/ifrename' > /etc/modprobe.d/ipw2200
rmmod ipw2200;modprobe ipw2200

E é só isso. O seu Netowrk Manager já deve ser capaz de reconhecer a sua interface de rede sem fio corretamente e listar as redes disponíveis na vizinhança para você escolher e entrar à vontade.

Enquanto estava nessa brincadeira, encontrei mais essa pérola:

echo 'options ipw2200 led=1' >> /etc/modprobe.d/ipw2200

E, olha que coisa mais linda, agora o led de rede sem fio do meu notebook me informa quando a interface está ativa e quando há tráfego nela.

É isso aí, uma boa leitura na documentação pode fazer maravilhas pelo funcionamento dos nossos sistemas 😉